INVESTIGADORES
OTERO Maria Rita
congresos y reuniones científicas
Título:
A Formação de Professores: Recursos para o ensino por indagação e o questionamento
Autor/es:
OTERO, M. R.
Lugar:
Recife
Reunión:
Exposicin; Encuentro en el CIN_UFPE; 2023
Institución organizadora:
Centro de Informática- UFPE
Resumen:
Nesta apresentação se tenta sintetizar as pesquisas realizadas pela autora e sua equipe sobre a Formação de Professores de matemática e ciências. A palavra formação é utilizada em sentido lato e inclui os professores que se encontram em serviço e que estudam na universidade. A formação de professores é analisada à luz da Teoria Antropológica do Didático (TAD) e da Teoria da Transposição Didática (TTD) cujo autor principal é Yves Chevallard. Interessa preparar os professores para ensinar em um novo paradigma, que a TAD denomina da pesquisa e do questionamento do mundo. O ensino por indagação requer do professor mudanças muito profundas em relação ao paradigma tradicional de ensino. Um tipo de recurso fundamental proposto pela TAD, são os Percursos de Estudo e Pesquisa (PEP), que consistem no estudo de uma pergunta em sentido forte. Os PEP são um grande desafio de ensino e se tenta analisar como os professores interagem com este tipo de recursos que promovem o questionamento do saber. Para questionar o saber a ensinar e o ensinado, o professor requer realizar um conjunto de gestos didáticos, próprios do questionamento. São relatadas várias pesquisas nas quais os professores têm que analisar e ensinar a partir de um PEP, e se tenta explicar a origem das dificuldades que eles enfrentam. Para descrever como os professores se apropriam a nível pessoal, dos dispositivos que empregam e como os utilizam, recorre-se à aproximação Instrumental do didático (AID). A noção de esquema de Gérard Vergnaud, é empregada para descrever a atividade instrumentada dos professores quando ensinam com um artefato tipo PEP e com qualquer outro tipo de recurso, como por exemplo os Recursos Educativos Digitais (RED). Interessa muito especialmente saber que mudanças realizam os professores nos recursos que utilizam na sala de aula. Tais mudanças nem sempre se dirigem ao questionamento e às formas de ensinar que o possibilitam. Finalmente, são traçadas novas perspectivas de investigação em que se está actualmente a trabalhar.