IDIHCS   22126
INSTITUTO DE INVESTIGACIONES EN HUMANIDADES Y CIENCIAS SOCIALES
Unidad Ejecutora - UE
artículos
Título:
Campos de conflitividade política e movimentos sociais no Equador da Revolução Cidadã
Autor/es:
SOLEDAD STOESSEL; FRANKLIN RAMÍREZ GALLEGOS
Revista:
Plural. Revista do Programa de Pós -Graduação em Sociologia da USP
Editorial:
Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade de São Paulo (PPGS/USP)
Referencias:
Año: 2015 vol. 22 p. 4 - 4
ISSN:
2176-8099
Resumen:
Este artigo estuda a configuração de diversos ?campos de conflitividade política? durante o ciclo de governo da Revolução Cidadã, iniciado em 2007. Tal governo, presidido por Rafael Correa, dá início a um processo de mudança política em meio a uma profunda crise de legitimidade da representação política e ao recuo dos movimentos sociais. Esboçada no decorrer da Assembleia Constituinte, a nova agenda pública ativa uma série de episódios contenciosos que evidenciam a capacidade da ação coletiva organizada de construir problemas públicos, apesar de sua debilidade. Nesse sentido, formulam-se questões sobre três campos de conflitividade relacionados a problemas sociais específicos, delineados ?de baixo para cima?: o déficit de reconhecimento político, a legitimidade da representação social no Estado e as conexões entre buen vivir (bem viver) e desenvolvimento.